The news is by your side.

Sesa discute estratégias de prevenção de infecções sexualmente transmissíveis

Debate aconteceu na tarde de terça-feira, no auditório da Sesa.

 

Na tarde dessa terça-feira (10), a Coordenação Estadual de IST/Aids realizou, no auditório da Secretaria da Saúde (Sesa) Enseada, em Vitória, um debate sobre as ações estratégicas de prevenção, diagnóstico e tratamento precoce de IST/Sífilis, HIV e Hepatites Virais no Espírito Santo. O objetivo do encontro foi discutir principalmente questões relacionadas à sífilis, buscando traçar ações estratégicas de prevenção, diagnóstico e tratamento precoce dessas e outras infecções sexualmente transmissíveis.

O encontro foi realizado após levantamentos do Ministério da Saúde, que apontou que o número de casos de sífilis em adultos triplicou nos últimos cinco anos e o número de casos de sífilis congênita está com uma incidência alta, de 10,5 casos por mil nascidos vivos, o que coloca o Espírito Santo entre os 10 estados brasileiros com os maiores coeficientes de mortalidade infantil por sífilis congênita no País.

A coordenadora Nacional de Vigilância em IST, Angélica Espinosa Miranda, participou do encontro e destacou que o Espírito Santo mantém uma relação próxima com o Ministério da Saúde e isso fortalece as ações de combate às Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST). “O Espírito Santo tem uma equipe séria, que tem trabalhado sério, e que a gente tem uma relação muito próxima entre Ministério da Saúde, Governo do Estado e os municípios, porque somente em conjunto vamos conseguir resolver esse problema”, disse.

Um dos temas abordados foi a eliminação da transmissão vertical do HIV, buscando caminhos para realizar o controle da sífilis congênita e tentar montar, junto com o Laboratório Central do Espírito Santo (Lacen-ES), um laboratório de referência para o controle de resistência antimicrobiana aos agentes gonococo e clamídia. “Tendo o Lacen como referência, vamos poder oferecer aos pacientes uma qualidade melhor de saúde”, destacou Angélica Espinosa Miranda.

Foram discutidas no evento as metas de prevenção e assistência às IST, HIV e Hepatites B e C para o ano de 2020, e o Espírito Santo terá como meta principal a eliminação da transmissão vertical do HIV e Hepatite B, além da redução de casos de sífilis congênita. Segundo a coordenadora Estadual de IST/Aids, Sandra Fagundes, “outra meta muito importante é o aumento da realização de testes rápidos para infecções sexualmente transmissíveis e acesso precoce ao tratamento antirretroviral para pessoas com diagnóstico precoce do HIV. A meta inclui também a prevenção das IST para pessoas das populações-chave.”

Participaram da reunião as enfermeiras Alba Valéria Oliveira e Fabiane Favaro; a assistente social Julimar Soares França; a coordenadora do CTA Itinerante, Andrea Pretti; e os médicos Bettina Moulin, Marcello Leal e Rúbia Miossi. Estiveram no encontro também as apoiadoras do Ministério da Saúde para Sífilis, Rozangela Locatelli e Liliana Pereira; gestores da Saúde dos municípios de Cariacica, Colatina, Guarapari, Santa Maria de Jetibá, São Mateus, Serra, Viana, Vila Velha e Vitória; e representantes da sociedade civil e da Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV/Aids do Espírito Santo (RNP+).

você pode gostar também
Comentários
Loading...