The news is by your side.

Espírito Santo realiza teste de sarampo em até 4 horas no Lacen

CAPACIDADE atual do laboratório para processamento e liberação dos resultados do diagnóstico de sarampo é de 92 amostras por dia.

 

O Laboratório Central de Saúde Pública do Espírito Santo (Lacen-ES) tem organizado seu fluxo interno para reduzir o tempo de realização de testes para o diagnóstico de sarampo e na liberação de seus resultados. Há estados que realizam o mesmo procedimento entre três e quatro dias, chegando, em alguns casos, a 20 dias. No Espírito Santo, entretanto, os resultados são liberados em até 4 horas após o recebimento das amostras no Lacen-ES.

Segundo André Luiz de Abreu, coordenador geral de Laboratórios de Saúde Pública (CGLAB) do Ministério da Saúde, o Lacen capixaba vem se destacando nacionalmente. “Com a otimização de seus processos internos, o Lacen-ES desponta como exemplo de compromisso da vigilância laboratorial com a saúde pública nacional. Toda a rede de Laboratórios está trabalhando de maneira exemplar, com mobilização interna de suas equipes para reduzir o tempo de processamento dos exames e garantir a qualidade da informação da vigilância”, disse.

De acordo com o coordenador geral do Lacen-ES, Rodrigo Ribeiro Rodrigues, a resposta rápida e precisa é crucial diante do cenário nacional da doença. “Toda a equipe do Lacen-ES sabe a importância do diagnóstico rápido. Organizamos o nosso fluxo interno para dar prioridade ao sarampo, uma vez que se trata de uma doença de transmissão por contato e que, se não atuarmos rapidamente, aumenta a probabilidade de sua expansão”, explicou.

O coordenador lembra que diante de surtos e epidemias, o princípio da saúde pública é quebrar a cadeia de transmissão. “Pois assim, se você consegue identificar rapidamente e ‘isolar’ o caso, você restringe a transmissão. Diminuir o tempo de resposta, que pode chegar até 20 dias em alguns estados, para poucas horas, permite que a vigilância possa entrar em ação realizando a busca ativa de contatos e o bloqueio vacinal”.

No mês de agosto, o Lacen-ES recebeu, em média, 12 amostras de casos suspeitos de sarampo para análise. De acordo com Rodrigo, a capacidade atual do laboratório para processamento e liberação dos resultados do diagnóstico de sarampo é de 92 amostras por dia, entretanto, o objetivo da coordenação do Lacen-ES é aumentar essa capacidade e a velocidade de liberação.

“Estamos com um processo de licitação em andamento para aquisição de insumos que nos permitirão automatizar o procedimento que hoje é manual, o que permitirá que passemos de 92 amostras por dia para 50 amostras por hora”, informou. Assim, o próximo objetivo será liberar os resultados em no máximo uma hora e meia após o recebimento das amostras no laboratório.

Diante do bom trabalho, o coordenador elogiou o comprometimento e a organização da equipe. Rodrigo Ribeiro Rodrigues ressaltou também a modernização implementada na forma de gestão. “As amostras chegam e começamos as análises sempre a partir das 14h todos os dias, inclusive nos finais de semana e feriados. Implementamos um fluxo de priorização, uma forma de gestão mais enxuta e isso tem garantido a agilidade do processo sem afetar a qualidade dos resultados”.

 

Como é o processo

Nos casos suspeitos de sarampo, são colhidas amostras de sangue e urina pela vigilância municipal ou vigilância regional e encaminhadas ao Lacen-ES. Os exames são iniciados todos os dias às 14 horas e liberados, até no máximo, às 18h.

Segundo o coordenador geral do Lacen-ES, Rodrigo Ribeiro Rodrigues, os exames são realizados pela análise das amostras de soro “em busca da presença ou não de anticorpos específicos contra o vírus do sarampo”.  Ao final, os resultados são entregues aos municípios por meio de um sistema “online” conhecido por Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL). Em caso de amostras positivas, essas são encaminhadas à Fiocruz para confirmação.

 

Vacinação

Para Danielle Grillo, coordenadora do Programa Estadual de Imunizações e Vigilância das Doenças Imunopreveníveis, é importante ressaltar a necessidade de vacinação para às crianças menores de um ano de idade, de seis a onze meses. “Precisamos melhorar a cobertura vacinal nesse público menor de um ano, de 6 a 11 meses de vida, considerando o risco de complicações de sarampo nessa faixa etária. Dos quatro óbitos que o Brasil tem de sarampo neste ano, três estão na população menor de um ano de idade.  Isso reforça a importância da vacinação neste público”, disse.

 

Laboratório Central do Estado recebe certificação internacional 

Além da referência no tempo de resposta rápida para a liberação de resultados de sarampo e de ter sido selecionado como um dos cinco laboratórios a integrar a Rede de Laboratórios de Referência em Tuberculose, o Lacen-ES foi acreditado junto ao Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), com a certificação internacional ABNT NBR ISO/IEC 17025.

Assim, passa a ser o laboratório público com o maior número de ensaios com certificados de qualidade e o único laboratório público que realiza monitoramento da carga viral do HIV e contagem de células T CD4 e CD8, segundo informa o coordenador geral, Rodrigo Ribeiro Rodrigues.

A acreditação aconteceu em agosto e envolveu um processo com várias etapas que durou cerca de um ano e meio.  Durante o período, foram avaliados a precisão dos resultados, a qualidade dos processos e toda a cadeia de informação associada aos exames realizados no laboratório.

“Foi um processo árduo, porém muito gratificante.  O selo do Inmetro atesta que os ensaios realizados pelo Lacen-ES atendem aos padrões de qualidade internacionais. Atualmente 26 ensaios executados pelo laboratório foram acreditados, sendo que cada um destes métodos são diferentes e apresentam especificidade e procedimentos próprios”, disse Rodrigo Ribeiro Rodrigues.

Ainda segundo o coordenador, foram auditados desde os protocolos de execução, passando pela forma de como os dados são validados, liberação de laudos, calibração de equipamentos. “Foi uma verificação da rastreabilidade de toda cadeia de diagnóstico”, explicou.

Entre os próximos objetivos do Lacen-ES, segundo o coordenador, está o aumento do número de ensaios no escopo de acreditação para que, em breve, alcancem a meta de 100% dos ensaios com certificados de qualidade. “O Lacen-ES é um trabalho coletivo multidisciplinar e temos que garantir a qualidade em cada ponto distinto dele. Nosso próximo objetivo, além da renovação do selo, será a ampliação dos números de ensaios”, explicou o coordenador, que conta com mais de 100 profissionais.

 

Histórico

Em 2005, com a Lei complementar n° 317, o Lacen-ES passou a ser considerado uma unidade da Secretaria de Estado da Saúde, integrando a Gerência Estratégica de Vigilância em Saúde.

O laboratório é referência no Estado, atuando nas áreas de vigilância epidemiológica, sanitária e ambiental. Com isso, realiza diagnóstico confirmatório e diferencial de doenças/agravos de interesse em saúde pública, além de analises para detecção de surtos, epidemias, eventos inusitados e o controle de qualidade analítica da rede estadual.

No local também são examinados produtos de controle sanitário em alimentos, bebidas, medicamentos e da qualidade da água para consumo humano.

você pode gostar também
Comentários
Loading...