The news is by your side.

Casagrande está em segundo lugar entre governadores mais bem avaliados por líderes do Congresso

Casagrande está em segundo lugar entre governadores mais bem avaliados por líderes do Congresso
RUI Costa e Renato Casagrande foram apontados como os melhores governadores por líderes ouvidos pelo Painel do Poder do Congresso em Foco.

Casagrande está em segundo lugar entre governadores mais bem avaliados por líderes do Congresso, O baiano Rui Costa (PT) é o governador mais bem avaliado pelos líderes do Congresso, mostra nova rodada do Painel do Poder, pesquisa feita pelo Congresso em Foco em parceria com a In Press Oficina. Renato Casagrande (PSB), do Espírito Santo, e Flávio Dino (PCdoB), do Maranhão, aparecem na segunda e terceira colocação, respectivamente. No levantamento anterior, feito em junho, o maranhense liderava, seguido pelo petista baiano.

Desta vez Rui Costa alcançou nota 3,6, na média ponderada de 1 a 5. Casagrande ficou com 3,4, e Dino, com 3,3. Logo depois deles, vêm os governadores do Ceará, Camilo Santana (PT-CE); do Piauí, Wellington Dias (PT-PI); e de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB-PE). Nas seis primeiras colocações do ranking estão, portanto, apenas governadores de oposição ao governo de Jair Bolsonaro. E a maior parte deles é do Nordeste.

Na outra ponta, Wilson Witzel (PSC-RJ) ficou com a nota 2, a mais baixa obtida entre os 13 governadores avaliados, repetindo a última colocação da pesquisa anterior. Imediatamente acima dele ficaram Romeu Zema (Novo-MG), com 2,3, e Ibaneis Rocha (MDB-DF) e João Doria (PSDB-SP), empatados com 2,6.

Veja a avaliação de cada governador, conforme as principais lideranças da Câmara e do Senado:

Metodologia

Baseado em metodologia científica, o Painel do Poder é uma ferramenta exclusiva, e pioneira no Brasil para estudos legislativos, que usa a técnica de pesquisa por painel, feita a cada três meses. Ela contempla investigações tanto quantitativas como qualitativas, tomando por base uma amostra de líderes de aproximadamente cem parlamentares. O levantamento também mostrou que eram pequenas as chances de o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, ter o seu nome aprovado para ser o embaixador brasileiro nos Estados Unidos. Eduardo desistiu da indicação na semana passada.

São líderes de partido, líderes temáticos (pessoas que formam opinião em temas-chave), integrantes das mesas diretoras da Câmara e do Senado e presidentes das comissões mais importantes das duas casas. Desta vez, foram ouvidas 79 lideranças, mas oito entrevistas foram inteiramente descartadas para que a amostra considerada ficasse mais próxima da correlação real de forças do Congresso em termos de região, atitude em relação ao governo e expressão partidária. O levantamento de campo foi feito entre os dias 16 e 27 setembro.

Juntamente com diversos outros dados relativos a temas legislativos e a percepções sobre o cenário político e econômico, essas informações foram encaminhadas anteriormente para assinantes do serviço. Se quiser receber o relatório completo ou se informar sobre a próxima onda de pesquisa, prevista para dezembro, escreva para [email protected]

Dos 71 líderes considerados, 38% pertencem ao Senado e 62% à Câmara. Pertencem a partidos de oposição (PT, PSB, PDT, Psol, PCdoB e Rede) 25,4% dos líderes. Outros 9,9% são de partidos com posição indefinida ou independente em relação ao governo Bolsonaro (PSDB, Cidadania, Pros e PV). Todos os demais partidos foram considerados como parte da base governista, ainda que vários deles – e muitos dos seus líderes – não se apresentem assim, porque todas essas legendas têm votado com o governo na maioria das votações importantes do Congresso.

Source:
Congresso em Foco
você pode gostar também
Comentários
Loading...