Caixa aumenta valor de imóveis financiados pelo Minha Casa Minha Vida
Caixa aumenta valor de imóveis financiados pelo Minha Casa Minha Vida

As famílias de baixa renda de cidades de até 50 mil habitantes vão ter acesso a mais financiamentos de imóveis do Minha Casa Minha Vida (MCMV). O banco aumentou o valor de imóveis financiados para as faixas 2 e 3 do programa habitacional. Paralelamente, a instituição elevou o valor do subsídio para a faixa 2 em cidades de até 20 mil habitantes.

O teto de imóveis para as faixas 2 e 3 do MCMV foi ampliado. Para as cidades de 20 mil a 50 mil habitantes, o valor máximo do imóvel a ser financiado passou de R$ 110 mil para R$ 145 mil no Distrito Federal, no Rio de Janeiro e em São Paulo; de R$ 105 mil para R$ 140 mil no Sul, no Espírito Santo e em Minas Gerais; de R$ 105 mil para R$ 135 mil em Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul; e de R$ 100 mil para R$ 130 mil no Norte e no Nordeste.

Nas cidades com menos de 20 mil habitantes, o teto do financiamento passou de R$ 95 mil em todas as regiões para os mesmos valores (escalonados por regiões) dos municípios com até 50 mil moradores.

O banco também aumentou o valor do subsídio para financiamentos da faixa 2 em cidades de até 20 mil habitantes. O subsídio passou de R$ 10.545 para R$ 11,6 mil para os mutuários com renda familiar bruta de até R$ 1,8 mil.

Para as cidades de 20 mil a 50 mil habitantes, o valor do subsídio na faixa 2 não mudou, podendo chegar a R$ 29 mil, dependendo da região do imóvel. Os subsídios para a faixa 1,5 do Minha Casa Minha Vida também não sofreram alteração, com valor máximo de R$ 47,5 mil para famílias que ganhem até R$ 1,2 mil. As informações são da Agência Brasil.

As novas regras foram publicadas em instrução normativa do Ministério do Desenvolvimento Regional. Em nota, a Caixa Econômica Federal informou que as novas condições permitirão ao banco consumir todo o orçamento disponível para este ano no financiamento de moradias para a população de baixa renda.

“Com essas novas condições, a Caixa está com capacidade plena para atender a demanda por moradia no mercado imobiliário e aplicar todo o orçamento disponível para 2019, promovendo o aquecimento da economia, gerando empregos e rendas, além de contribuir para a redução do déficit habitacional do país”, destacou o banco no comunicado.

Saiba mais

Faixa 2

Valor dos imóveis para cidades até 50 mil habitantes

Distrito Federal, no Rio de Janeiro e em São Paulo: Passou de R$ 110 mil para R$ 145 mil.

Região Sul do país, no Espírito Santo e em Minas Gerais: Passou de R$ 105 mil para R$ 140 mil.

Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul: Passou de R$ 105 mil para R$ 135 mil.

Regiões Norte e Nordeste: Passou de R$ 100 mil para R$ 130 mil.

Subsídios

Cidades até 20 mil habitantes: Passou de R$ 10.545 para R$ 11,6 mil para famílias com renda de até R$ 1,8 mil.

Cidades de 20 mil a 50 mil habitantes: Permanece em R$ 29 mil.

Deixe aqui sua opinião: